21 nov 2016

Lojas virtuais devem vender 45% a mais neste Natal

Produtos típicos do comérco eletrônico tiveram deflação de 5,26% desde julho.
Quarenta porcento pesquisam em lojas físicas antes de comprar na rede.

As vendas do comércio eletrônico brasileiro devem obter um crescimento nominal de 45% em relação ao Natal de 2006, atingindo um faturamento recorde de R$ 1 bilhão, segundo pesquisa da e-bit, consultoria especializada em estudos do setor.

O principal fator que pode proporcionar a alta é a deflação dos produtos mais vendidos na rede, já que boa parte deles é importada ou tem componentes eletrônicos, ou seja, tem seu custo vinculado ao câmbio do dólar.

Os preços dos produtos vendidos na internet registraram, em média, deflação de 5,26% entre os meses de julho e outubro, segundo a e-bit. Dos consumidores ouvidos na pesquisa (todos eles clientes de comércio eletrônico), as categorias favoritas de produtos para compra são as de livros, CDs e DVDs (47,7%), eletroeletrônicos (32,7%), artigos de informática (27,6%), e artigos de telefonia e celulares (20,6%).

Cesta de produtos
O enfraquecimento do dólar pode ainda aumentar a variedade de itens nas cestas de presentes dos consumidores virtuais, que, esperam os empresários do setor, passarão a comprar mais notebooks, minigames, tocadores de MP3, e televisores de LCD e plasma.

Vale ressaltar, no entanto, que quem compra pela rede também pesquisa em lojas físicas. Em média, 40% dos consumidores consultam lojas do varejo tradicional antes de adquirir um produto pela internet.

hello